LUPICÍNIO RODRIGUES
Compositor e Cantor
Lupicínio Rodrigues é um dos nomes mais fortes e luminosos da música popular brasileira. Este cantor e compositor “gaúcho”, do Rio Grande do Sul, nasceu em Porto Alegre, no dia 16 de setembro de 1914.
É um autor de inúmeras canções populares e sentimentais, a que os especialistas apelidaram de música de dor de cotovelo, ou seja, aquela composição lítero- musical envolvida em dolências melancólicas que lembram momentos dolorosos do desenlace ou da separação de um grande amor, ou ainda inspirados em mágoas quando um coração apaixonado se depara diante de um amor impossível, ou não correspondido.
Lupicínio Rodrigues, no início de sua trajetória em direção aos grandes sucessos, era soldado pouco apegado aos regulamentos e à disciplina das casernas, embora muito admirado pelas marchinhas que fazia para o Exército. Assim é que, com apenas 18 anos, Lupicínio conseguia chamar a atenção de “Noel Rosa” que emitiu suas impressões dizendo: “Esse garoto é bom, esse garoto vai longe!”.
Estávamos em 1932, época em que este gaúcho bom de garganta e inspiração fazia parte do conjunto “Catão”. Caminhando devagar e sempre, mas com muita determinação, “Lupicínio Rodrigues foi transformando-se, no final da década de 30, numa figura de renome nacional. E não seria para menos. Quem tem como sua primeira composição a letra e a música “Se Acaso Você Chegasse”, feita em parceria com “Felisberto Martins”, e gravada, em 1938, por “Ciro Monteiro”, poderá dizer com segurança, que sua carreira começava gloriosa e promissora.
Este compositor, ao notabilizar-se de modo todo especial, como poeta das ruas, dos becos, da boemia, dos amores frustrados e traídos, que acabam sempre em nada, criou uma escola, fez seguidores e identificou-se com tudo aquilo que alimenta e aquece os corações apaixonados tornando-se pioneiro nesse gênero na música brasileira.
Seguiram-se obras, cada qual, uma autêntica obra-prima, como “Felicidade”; “Nervos de Aço”; “Brasa”; “Esses Moços”; “Meu Pecado”; “Quem Há de Dizer”; “Vingança”; “Ela Disse-me Assim”; “Cadeira Vazia”; “Volta”; “Nunca”; em especial o Hino do Grêmio Porto-alegrense (FBPA). Enfim, eis uma pequenina amostra do muito que produziu, todas elas interpretadas por cantores de nomeada, destacando-se “Orlando Silva, conjunto “Quitandinha Serenaders”; “Francisco Alves”; “Linda Batista”; “Jamelão”; “Gal Costa”; “Caetano Veloso”; “Bruno Barreto” e tantos outros seresteiros.
A canção, “Esses Moços”, por exemplo, pelo sentido poético e pela popularidade de que granjeou desde 1947, serviu de tema de um filme, “A Estrela Sobe”, em 1974.
Lupicínio Rodrigues, ao longo dos seus 61 anos de idade, quando a morte o surpreende em 1975, no Estado do Rio Grande do Sul, o mundo da música acabara de perder um de seus melhores filhos, aquele que deixou para a posteridade um patrimônio de valor inestimável, contribuição que atesta o quanto tem sido importante a presença das pessoas de origem “afro-brasileira”, em nossa história

VOLTAR