JULlANO MOREIRA 1873 -1933
Juliano Moreira nasceu em uma familia pobre, no dia 6 de janeiro de 1873, em Salvador. Muito jovem, em 1886, entrou na Faculdade de Medicina. Formou-se aos 18 anos, portanto antes da abolição da escravatura. Em 1891, tornou-se professor dessa mesma faculdade e, na época, já tinha trabalhos publicados em várias revistas cientificas na Europa. De 1895 a 1902, freqüentou cursos sobre doenças mentais e visitou muitos asilos europeus (na Alemanha, Inglaterra, França, Itália e Escócia).
De 1903 a 1930, dirigiu o Hospicio Nacional dos Alienados, no Rio de Janeiro. Ele se alinhava às correntes que então representavam a modernização teórica da Psiquiatria e da prática asilar. Durante sua gestão, conseguiu humanizar o tratamento dos pacientes, abolindo a camisa de força e as grades de ferro nas janelas.
Um aspecto importante em sua obra foi sua explícita discordância quanto à atribuição da degeneração do povo brasileiro em função da miscigenação racial. Além de aumentar a abrangência da Psiquiatria no país, Julíano iniciou uma nova abordagem da loucura. Ele foi o primeiro no Brasil a atribuir caracteristicas físicas (lesões dos nervos e do cérebro) e psicológicas (desordens intelectuais e afetivas) às doenças mentais. Foi grande divulgador das idéias de Freud.
Juliano Moreira foi o primeiro psiquiatra brasileiro a receber reconhecimento internacional. Participou de muitos congressos médicos e várias vezes representou o Brasil no exterior.

VOLTAR