JACKSON DO PANDEIRO 1919 -1982
Jackson do Pandeiro, naSC6-l em Alagoa Grande, na Paraiba, em 31 de agosto de 1919. Vindo de uma familia de artistas populares - a mãe era cantora de pastoril - sua história reforça a influência da cultura negra na música nordestina. Jackson é considerado um dos maiores ritmistas da história da MPB. Em 54 anos de carreira, foi responsável, ao lado de Luiz Gonzaga, pela popularização nacional de canções nordestinas.
No Rio, apresentou-se nas rádios Tupi e Mayrink Veiga, e foi contratado pela Rádio Nacional. Jackson fez muito sucesso com O Canto da Ema, Chiclete com Banana, Um '3 Um e Xote de Copacabana. A critica se encantava com sua facilidade para cantar gêneros musicais variados: baião, coco, samba-côco, rojão e marchinhas de carnaval. Seu primeiro álbum, Sua Majestade - O Rei do Ritmo, saiu em 1954 pela Columbia.
Durante a década de 1950, Jackson e Almira ganharam projeção nacional e começaram a atuar em filmes populares, como Minha sogra é da policia, Cala a boca Etelvina, Tira a mão daí e Batedor de carteiras.
Com a Tropicália, houve o resgate da música nordestina. Gilberto Gil regravou com sucesso, em 1972, a música Chiclete com Banana. Anos depois regravou também O Canto da Ema e A Cantiga do Sapo. Gal Costa interpretou Sebastiana, e Alceu Valença convidou Jackson para cantar em dupla o coco¬elétrico Papagaio do Futuro.

VOLTAR