GILBERTO GIL
Gilberto Gil é natural de Salvador, Bahia, onde nasceu em 1942, para tornar-se um dos intérpretes da Música Popular Brasileira mais famosos de nossa geração. Em 2003, torna-se Ministro do Presidente Luis Inácio Lula da Silva.
Gil é quem tem conduzido, com maior obstinação e sucesso, esta busca incessante entre os que entendem que é na “Alma Africana” e “Cabocla”que reside a fonte inexaurível de nossas inspirações Culturais.
Suas composições são verdadeiras litanias produzidas em honra aos valores naturais do povo e a cada apresentação que ouvimos, ouvimos em estado pleno de deslumbramento. Talvez aí esteja a razão mais recôndita dessa seqüência interminável de êxito de suas gravações que teve início em 1967 com “Louvação” e prossegue até os dias de hoje. Influenciado a princípio, por Luiz Gonzaga e mais tarde, por João Gilberto, Gilberto Gil foi se libertando e traçando o seu próprio caminho, que o levou à consagração como uma das figuras centrais do movimento tropicalista.
Esta vertente de suas criações artísticas da qual figura outro monstro sagrado que é Caetano Veloso, era o reflexo de um movimento que buscava criar um tipo de música integrada à América Latina voltada para os seus problemas e suas realidades comuns, espécie de formulação de uma crítica do mundo existente à nossa volta.
Para definição dessas linhas foi importante o contato de Gilberto Gil e Caetano Veloso com os poetas Augusto e Haroldo de Campos, com os quais, os compositores e cantores populares absorveram as contribuições nacionalistas (nada xenófobas) em cuja origem estavam as obras de “Mário de Andrade”; “Oswald de Andrade” e de “Souzandrade” estas apresentações foram supremamente valorizadas pelos arranjos feitos pelos eminentes maestros “Rogério Duprat”e “Julio Medaglia”.
Para alguns, o tropicalismo de Gilberto Gil anarquizou a arte brasileira do fim da década dos anos 60; já para outros, aquele movimento serviu para contrariar normas estabelecidas. “Coisas que a elitismo cultural eurocentrista não admitia”, como afirma o próprio Gil. O que nos compete registrar é que Gilberto Gil sempre esteve em quase todas as produções que tem por referência os tempos modernos.
O disco “Tropicália”é um dos momentos altos da carreira desse cantor negro e baiano que muito se orgulha de suas raízes africanas e canta, de modo tonitroante os seus perenes valores.
Suas criações artísticas comportam todas as nuanças de procedência sertaneja e negro-africana. Gilberto Gil em 1987 esteve à frente da Fundação Gregório de Matos, de Salvador, “especialmente dedicado à preservação do centro histórico da cidade e à revitalização da cultura negra”. Com o ativista das lutas afro-negras e da política partidária, Gilberto Gil teve a consagração de ver o seu nome eleito como vereador à Câmara Municipal da Cidade de Salvador, pelo PMDB. Nunca é demais citarmos que grandes cantores dividiram o palco ou participaram de seus discos ou CDs como Caymmi; Jorge Benjor; Jimmy Cliff; e particularmente Gal Costa e Maria Bethânia.Gilberto Gil foi o vencedor do Prêmio Shell de 1991 e já foi consagrado com o título de cidadão paulista, tempo atrás.
Hoje, jubilado e eminente, Gilberto Gil é nosso Ministro da Cultura em nosso País.

VOLTAR