ALEIJADINHO

 

Antônio Francisco Lisboa nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais, em 1730, filho da escrava Isabel com seu senhor, o mestre de obras português Manuel Francisco Lisboa. Antônio Francisco cresceu na oficina do pai, onde começou a aprender desenho, arquitetura e ornamentos, demonstrando especial interesse por escultura e entalhes. Lá aprendeu o oficio que o imortalizou. Na ocasião do falecimento do pai, ele já era um profissional reconhecido na sociedade
Foi em 1777 que a misteriosa doença degenerativa, da qual foi vitima, começou a se manifestar. Sem diagnóstico preciso na época, hoje se supõe que se tratasse de hanseniase. O artista perdeu os dedos das mãos e dos pés, teve deformações na face, ficou quase cego no fim da vida, além de sofrer dores terríveis. Por conta delas, ele mesmo amputou partes de seus dedos em momentos de crise. Andava de joelhos ou carregado, mas mesmo assim não deixou de trabalhar. O mal lhe rendeu o apelido pelo qual é conhecido até hoje.
Aleijadinho é considerado um dos maiores expoentes do Barroco Mineiro e o maior artista brasileiro do século XVIII. Foi escultor, arquiteto e entalhador. Sua obra se distribui por cidades como Ouro Preto, São João dei Rey, Mariana, Tiradentes e Congonhas. Seus mais importantes trabalhos - como os 12 profetas esculpidos em pedra sabão e as 66 figuras em cedro que reproduzem os passos da Paixão de Cristo, da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos - estão em Congonhas do Campo.
Aleijadinho faleceu em 18 de novembro de 1814, em Ouro Preto, com 84 anos

VOLTAR